domingo, 24 de novembro de 2013

Saudades de casa.

Quando chega o final do ano, não tenho como evitar o sentimento, que cresce dentro de mim, de saudade da família, eu sei que acabei de voltar do Brasil, mas as festas de fim de ano significam mais quando você está do lado dos parentes.
Por sempre ter sido assim, durante toda a minha vida, ainda é difícil me acostumar com a vida adulta e de que eu tenho uma família, mas mesmo assim, não deixo de pensar que se estivesse no Brasil com minha família o Natal sempre permaneceria igual pois iria passar com as minhas irmãs e minha mãe, minha sobrinha, quando você mora na mesma cidade que seus pais ou pelo menos no mesmo estado é invevitável a reunião de todos, ou pelo menos de grande parte, no Natal, onde você possivelmente vai conhecer o noivo da sua prima ou quem será a próxima criança a nascer, tipo que você se atualiza como está o crescimento da família.
Aqui o Natal é meio deserto, as pessoas mais importantes para o meu marido já faleceram, o pai adotivo mora no Havaí, a avó em Chicago, a irmã em Los Angeles, ou seja, bem difícil de conseguir reunir e mesmo que haja o encontro sempre parece que não me encaixo, falta o calor do Brasil.
Novembro não foi um mês muito legal para mim, ainda bem que está acabando, e a saudade da família aumentou ainda mais depois que eu recebi a visita de um amigo meu, que por coincidência do destino, tem o treinamento dele da empresa aqui em Phoenix, mas o dias passaram muito rápido, embora tenha conseguido mandar as pequenas lembrancinhas de Natal para a minha família mais próxima, quando ele foi embora fiquei com vontade de ir na mala rsrs.
A vida aqui não é um mar de rosas, mas estou tentando, ainda não joguei a toalha, apesar de ter recebido um recorde de NÃO's enquanto procurava um trabalho melhor do que freelancer como professora de português, que by the way, não vai muito bem pois não tenho nenhum aluno.
Eu não sou obrigada a ter um emprego, mas é muito ruim ser sustentada pelo marido, já que toda minha vida foi baseada em ter uma educação onde eu pudesse me sustentar, mas a vida prega peças na gente, não sei o que o futuro me reserva, mas pelo menos Dezembro vai começar muito bem, já que minha prima que mora em NY vem me visitar logo no começo.
Espero que isso seja um bom presságio para 2014, já que 2013 foi um ano de muito esforço, mas nada de conquistas.
Até a próxima!