quarta-feira, 28 de setembro de 2011

O que fazer depois que seu RDJ sai

No meu caso, o meu tipo de visto é o CR-1 que você obtém preenchendo a petição I-130, esse é o tipo de visto para quem já está casada e já garante o green card provisório, ou seja, quando chegar aos EUA, não terei mais que mudar o meu status, pois já terei o meu green card para ser enviado para minha residência, só terei que mudar para o permanente, que é válido por 10 anos, quando estiver prestes a completar dois anos de casada. Aí sim que terei que entrar em contato com USCIS.

Bem meu RDJ saiu, isso significa que meu processo está quase pronto para ser mandado para o Rio de Janeiro, que é o único local onde se processa esse tipo de visto, não adianta ir em outro consulado, tem que ser no Rio mesmo.

Eu recebi este número por e-mail, já que eu e meu marido, no momento em que preenchemos a petição, preenchemos também o formulário N-400, que nos permite receber informações sobre o nosso caso via e-mail, o que torna as coisas mais rápidas, além de nos permitir mandar algumas coisas por e-mail também.

A NVC mandou o RDJ e junto com ele, uma carta requisitando que meu marido pagasse a taxa de affidavit support, que é de $88,00, e outra carta requisitando que eu entrasse em contato com a NVC, nomeando um agente através do formulário DS-3230, que eles anexaram na minha carta. Digo minha carta, pois continha o meu nome nela, no caso é uma carta digitada no word e transformada em pdf, recebemos assim porque preenchemos os formulário N-400.

Algumas dúvidas surgiram, tipo se eu poderia mandar esse formulário preenchido por e-mail, então mandei um e-mail para nvcinquiry@state.gov, eles disseram que sim, então imprimi o formulário, preenchi a caneta, nomeei meu marido como agente, pois como ele mora lá, as cartas chegariam mais rapidamente até ele, depois scaneei e enviei, tudo certo agente nomeado.

Depois pagamos a taxa, que pode ser paga online, nesse site aqui: http://travel.state.gov/visa/immigrants/nvc/nvc_1335.html
Você clica em Oline Payment e vai abrir outra página de Login, onde você coloca as seguintes informações, que claro estão na carta ou e-mail que a NVC te enviar, você diz se você é o peticionário (quem fez a petição) ou principal aplicante (beneficiário), depois coloca o NVC case number, depois o Invoice ID number, pronto, aí segue os passos, colocando o número da conta, essas coisas, isso é o seu marido que tem que fazer, pois ele tem conta nos EUA. Feito isso, em 3 dias o status muda para paid, aí você o preenche o formulário do Affidavit Support, que pode ser encontrado aqui: http://travel.state.gov/visa/immigrants/info/info_3197.html. Leia todas as instruções para preencher o tipo de affidavit correto, pois para cada situação existe um diferente, depois de preenchido deve ser assinado e enviado para esse endereço aqui (não dá pra scanear, e enviar por e-mail, pois o Brasil não está cadastrado para esse tipo de operação):
National Visa Center
Attn. CMR AOS
31 Rochester Avenue Suite 100
Portsmouth, NH 03801-2914
Depois que a affidavit support fee é paga, outra taxa aparece para ser paga, que é a processing fee, que corresponde a taxa da entrevista, e atualmente custa $404,00, que também pode ser paga do mesmo modo que a do affidavit, depois de três dias o status muda para paid, então é hora de providenciar os velhos documentos de sempre. Detalhe importante, quando preenchemos a petição I-130 anexamos a ela os documentos originais da nossa certidão de casamento, e meu marido enviou o birth certificate dele original também, então surgiu a dúvida, devemos mandar esses mesmos documentos novamente? e a resposta foi SIM, pois os documentos da petição I-130 foram mandados para outro departamento, então, temos que mandar as segundas vias desses documentos, o que significa mais gastos...

O meu marido já tinha uma segunda via da Certidão dele, desde quando providenciamos o nosso casamento, ainda bem, ou teríamos que esperar mais, já que ele nasceu no Havaí e agora mora em Phoenix-AZ O.o, eu também tenho uma segunda via da nossa certidão de casamento, pois uma ficou comigo e outra com ele, então menos um problema, agora falta apenas o meus antecedentes, o que é um problema, ontem fui tentar tirar meus antecedentes da polícia estadual e eles não tinham o material para fazer, vê se pode! me deram um número para ligar e me informar, o da polícia federal só vai ficar pronto segunda-feira! Pra piorar os correios estão de greve! Eu mereço isso?

O da polícia federal dá pra fazer online, mas como é pra enviar pros EUA, prefiro ir pessoalmente e requerer e autenticar firma, porque acho mais oficial =). Para não restar dúvidas, vou colocar a lista de documentos aqui:

- Formulário DS-230 parte1 e parte 2, parte 1 assinada e a 2 não assina;
- Certidão de Nascimento a sua e da seu marido, pode ser original ou segunda via, esse negócio de cópia autenticada, NÃO EXISTE! tira a segunda via, que é melhor;
- Duas fotos de passaporte (somente do beneficiário), com o rosto medindo 3cm, sim é preciso enviar novamente,
vai para outro departamento, lembra?;
- Xérox da parte biográfica do passaporte, aquela que tem a foto e os seus dados, NÃO tira xérox do passaporte todo;
- Antecedentes criminais das Polícia Estadual e Federal, se você já morou em outro Estado por mais de seis meses, você tem que pedir um antecedentes daquele estado também;
- Imprime a Cover Document Sheet de que você pagou a processing fee e coloca na frente dos documentos e envia pro endereço que vai tá lá.

No meu caso é esse endereço aqui :
National Visa Center
Attn. CMR
31 Rochester Avenue Suite 100
Portsmouth, NH 03801-2914

Não se preocupem, que esses dados estarão disponíveis nas Cover Sheet das suas respectivas taxas, já que não sei se esse endereço muda dependendo qual o escritório que está processando o caso de vocês, então fica apenas como exemplo.
Lembrando, que vocês devem tomar providências somente quando forem contactados, mas não custa nada ter esses documentos, já organizados quando você recebe o seu RDJ.
No caso dos vistos K, alguns desses documentos se modificam, no caso, se exclui apenas a certidão de casamento para o visto K-1, o restante é igual, o que muda é que você não envia esses documentos ao NVC, e sim, os leva no momento da entrevista. O caso aqui é o visto de esposa CR-1.

Um abraço a todos, que estiverem acompanhando o blog, não custa nada compartilharmos informações. Espero enviar todos os documentos semana que vem, vou enviar pro meu marido, para ele poder enviar para a NVC, já que ele tem que anexar o Birth Certificate dele =).

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Oh my gosh!!

Consegui um número do meu processo que chegou ao Riooo!! meu RDJ alguma coisa, finalmente!!
Uma coisa muito complicada de entender...
Os passos são, tenho que entrar em contato com o NVC para iformar que eu recebi o contato deles, meu maridinho tem que pagar a taxa do afidait support, depois preencher e depois enviar e então tcharan! acho que receberei o bendito pacote com as intruções do que devo enviar para embaixada e a data da minha entrevista!
Oh my gosh! Aconteceu justamente quando eu estava tentando preencher o visa journey ahahah
Abro minha caixa de e-mails e lá está o e-mail do marido com a notícia, e ele me ligou horas antes e nem me disse nada, aquele saliente!
Agora estou aqui surtando e pegando todas a informações!! Ah meu Deus!!
Estou Feliz, Feliz =)

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Organização

Para dar entrada no processo de visto, você precisa, primeiramente, de duas coisas: determinação e paciência. Eu nunca me achei uma pessoa determinada, mas sempre me achei paciente e depois que encontrei meu love, passei a ser determinada.
Ainda continuo indecisa, mas com relação a ficar junto ao meu marido, no mesmo espaço de tempo e lugar, me faz caminhar, eu nunca soube o que seria de mim, ou que rumo seguir, não sou
uma pessoa gananciosa, nem ambiciosa, até que o amor me mostrou que não é bem assim, antes eu estava apenas sobrevivendo, agora, agora eu estou vivendo!
Estou correndo atrás do meu objetivo, sem medo de ser feliz, eu sempre pensei muito antes de agir, o que acabava resultando sempre em nada, eu apenas estudando, só para terminar os cursos e o que tivesse de ser será, mas agora tudo é diferente, acho que as pessoas nunca me viram determinada, sempre tive medo de encarar esse mundo real de empregos, tanto que nunca estagiei, somente quando as cadeiras de estágio se aproximaram é fui correr atrás dessa bendita experiência.
Como falei no outro posto já sou graduada em Letras, então eu ainda me aventurei dando aulas voluntariamente em cursinhos comunitários, pois como falei nunca fui gananciosa e eu estava lá para ajudar, fiquei muito feliz em ver meus alunos passando para a universidade PÚBLICA, senti uma sensação de dever cumprido, agora continuo a batalha para terminar minha segunda graduação, Arquitetura, que cada vez parece se complicar mais, o que era pra ter um the end no final do ano, agora ficou para julho do ano que vem e mesmo que eu receba o meu green card provisório, pois o permanente só se recebe depois de dois anos de casada, terei que voltar ao Brasil e ainda continuar distante da minha vida junto da dele, mas o que fazer? Deus escreve certo por linhas tortas e até agora está dando tudo certo.
Depois que você conseguiu determinação e paciência, vem a outra condição, ORGANIZAÇÃO, sim pessoas, vocês têm que se informar muito, então é preciso anotar tudo, para não se perder num monte de papeis.
Dependendo do visto que você for aplicar para ir pra qualquer país, você tem que anotar um passo a passo de documentação, testar preencher os formulários e seguir as instruções, assim você não enlouquece e sempre, pesquisar, pois às vezes as regras mudam, sempre procure as informações de base no site do consulado, lá você encontra todas as informações por mais que você tenha que abrir milhões de janelas eeheheh, então fica a dica!

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Papéis para o casamento estrangeiro no Brasil

No post anterior falei sobre o tipo de vistos e como decidimos nos casar, primeiro, nunca pensei em me casar, a única coisa que sabia é que você teria que ir a um cartório, mas antes de decidir visitar um, resolvi pesquisar um pouco, não consegui quase nenhuma informação, então tive que juntar os retalhos.
Primeiro, os documentos necessários:

Se você é brasileiro, você só precisa comparecer com sua identidade, certidão de nascimento e compravante de residência.

Para o cônjuge estrangeiro, a lista é um pouco maior, primeiro, o seu parceiro, tem que declarar para todos os fins que é solteiro e registrar num cartório, depois ele envia junto com a xérox do passaporte dele e da certidão de nascimento para o consulado brasileiro no país dele, com cópia, depois o consulado devolve essa documentação para o seu noivo (a) com um selo do consulado, ele também tem que publicar num jornal americano que vocês irão se casar, pedir um atestado de bons antecedentes criminais, depois ele traduz tudo isso, os documentos dele (passaporte e certidão de nascimento), mais a declaração de solteiro, mais o atestado de antecedentes criminais, mais a publicação no jornal, não precisei traduzir o comprovante de residência.

Depois que seu noivo (a) providenciou tudo isso e pagou o consulado e as traduções, ele tem que te enviar toda essa documentação junto com as traduções, aí você vai no cartório com os seus documentos e os do seu noivo, tudo, original e xérox, (do passaporte só a xérox com o selo do consulado) inclusive da publicação do jornal, dá entrada e paga a taxa de quanto o cartório decidir te cobrar, mas esteja preparada (o) que pode chegar a R$ 500,00, com isso o escrivão dará entrada nos proclamas, que é a publicação da intenção de vocês se casarem aqui no Brasil, depois quinze dias, você tem que voltar no cartório, para assinar uns papéis, e levar alguma documentação pendente, para o escrivão poder enviar o seu caso para o juiz, no meu caso ficou pendente uma declaração da polícia federal, que é só tirada com a presença dele e se recebe no mesmo dia, na polícia federal, já que o que fiz foi dar entrada nos proclamas, para assim que meu marido chegasse já estivessemos autorizados a casar, então voltei com ele ao cartório com as testemunhas assinamos uns papéis que faltavam e a escrivã mandou o nosso caso ao juiz, então esperamos 20 dias e tivemos nossa data marcada, detalhe quase não deu tempo, pois nos casamos a exatos quatro dias antes dele viajar, então aconselho que quem queira casar no Brasil diga ao seu esposo (a) passar dois meses aqui, para que não haja nenhum estress e fazer como eu fiz dá entrada nos proclamas, e quando o noivo (a) chegar assinar os papéis, pois cabe lembrar que o consulado dos Estados Unidos geralmente não aceita petições de casamentos feitos por procurações.

Então resumindo, os documentos do Cônjuge estrangeiro são:

Xérox do passaporte autenticado pelo consulado brasileiro, mais tradução;

Certidão de nascimento original, autenticada pelo consulado brasileiro, mais tradução;

Declaração de solteiro, feita pelo cônjuge, registrada em cartório, com o selo do consulado, mais tradução;

Atestado de bons antecendentes criminais, mais tradução;

Atestado de antecedentes criminais e tempo de permanência no Brasil pela polícia federal;

Xérox do carimbo de entrada no Brasil que está no passaporte;

Comprovante de residência;

Publicação do casamento no jornal americano, mais tradução;

PS: As traduções são feitas por tradutores juramentados!!! Esses tradutores podem ser encontrados nas juntas comerciais de sua cidade.
PS: Essas são as documentações, acho que valem para todo o Brasil, tive que pesquisar muito para achar, já que tive razão de não confiar na mulher do cartório, pois ela me deu uma informação errada, disse que não era necessária a publicação no jornal de lá, por sorte insisti que meu marido a fizesse e ele me mandou uma cópia de surpresa junto com os documentos, por isso deu tudo certo aqui.
PS: Alguns cartórios podem querer aceitar as traduções feitas apenas por tradutores juramentados brasileiros, por isso verifique antes. No meu caso, os tradutores dos EUA serviram, mas ainda queriam dar alguma complicação.
PS: O cartório tem por obrigação te dar as informações corretas, não pode te prejudicar, caso isso ocorra você tem todo o direito de processar.
PS: Essa documentação vale para qualquer casamento com estrangeiro.

Tipos de Visto e qual tipo escolher.

Finalmente encontrei um tempo, para fazer este post, que vem remoendo tanto na minha cabeça!
Hoje resolvi falar porque me casei, para só depois dar entrada num processo de visto imigrante pros EUA. Você pessoa que tem um relacionamento sério com um americano, pode recorrer há alguns tipos de visto:
- Ao visto de turista, que é só para visita, pois não vá querer dá uma de esperto (a) e ficar logo por lá, já que é muito arriscado, isso se você conseguir provar que vai voltar, que tem vínculos suficientes com o Brasil, e consequentemente, muito dinheiro... Aviso logo, que este visto é muito difícil de conseguir, já que há a probabilidade muito grande de você ficar ilegal por lá, no pensamento dos oficiais consulares, o que eles não querem, por isso negam o visto para quem está nessa situação. Já vi muita gente na internet, aconselhando a mentir na entrevista para conseguir esse tal visto, o que não aconeselho a ninguém, já que as pessoas que lidam com imigração detestam mentirosos...
- Os vistos K1 e K3, que são vistos de noiva e esposa, respectivamente, o K1 (noiva) permite que você vá aos estados unidos por três meses e se case lá, depois você muda o seu estatos, Adjust of Status e dá continuidade ao processo de imigração, mas é concedido para quem tem no mínimo de dois anos de relacionamento, e já tenham se visto, pelo menos uma vez pessoalmente; já o visto K3 é para quem já é casado e deseja emigrar rapidamente para os EUA, mas já tem que ter pelo menos dois anos de casados, se não me engano e continuar o processo por lá, sem poder trabalhar, pois não terá o green card.
- Os vistos CR-1 e IR-1, que são os vistos para esposas, que finalizam o processo recebendo o green card logo após entrar nos EUA, 30 dias após, o primeiro garante o green card temporário, válido por dois anos, para casais casados há menos de dois anos e o segundo, garante o green card permanente válido por 10 anos, para casais com dois anos ou mais de casamento, o que dá direito a um cartão com o número social, que equivale a uma identidade e o direito de trabalhar.
Pois bem, eu conheci meu marido pela internet, depois de uns dois meses conversando diariamente, ele decidiu me pedir em namoro, no dia 03 de janeiro de 2010, logo após eu ter tentado, em vão, desfazer a nossa amizade e tentar matar o sentimento que nascia em mim, já que não podia desperdiçar minha vida em mais um amor platônico, porém ele não aceitou a minha decisão, disse que me amava e que não iria desistir, foi então que deixamos de ser amigos, para então sermos namorados.
Logo, surgiram os planos de nos conhecermos, começamos a pesquisar, na época eu não tinha emprego algum, apenas estudava e estava terminando de me formar na minha primeira graduação em Letras, mas ainda continuava e continuo cursando Arquitetura, então sem nenhuma renda, e como sabemos os vistos de turista são tirados em outra cidade, pelo menos para mim que moro em São Luis-MA, ou seja, meio do nada do Brasil. Assim, não tinha como economizar, ou juntar, nada, já que sem emprego não dá. Então ele teria que vir, o que foi bem mais fácil e não recusaram o visto dele, eu não tinha e não tenho dinheiro, para viajar pra outra cidade e ter meu visto recusado. Assim ele se sacrificou bastante para conseguir juntar dinheiro suficiente nesses sete meses de conversa vai e conversa vem.
Assim ele veio em Julho de 2010 e pediu a minha mão, ele pensou que poderíamos dar entrada no visto de noiva, porém ele é caro e não tínhamos tempo de relacionamento suficiente para isso, e mesmo se aprovado eu não poderia deixar o país e muito menos terminar minha segunda graduação, além de ficar lá e não poder trabalhar... mas com certeza ia ser recusado, já que muitas pessoas no Rio, envolvidas com prostituição internacional, estavam usando este visto para levar mulheres para os EUA e eu de certa forma, me encaixava no perfil, então não dava.
Então o jeito é sair daqui casada, ainda mais depois do meu marido ter investigado com um amigo dele, que é casado com uma conlombiana, que ele teve que casar e só então ela pôde entrar no pais com ele. Depois disso nos desesperamos, começamos a correr com a papelada para o casamento.
Mesmo assim, sabíamos que o visto K3 também não serviria, pois não teria o green card, teria que esperar meu processo finalizar lá, não teria como trabalhar, nem voltar para o meu país para terminar meus estudos, além de não possuir o tal dos "dois anos de casada".
O jeito foi recorrer ao CR-1/IR-1, que faz com que todo processo corra comigo aqui no Brasil e assim que me mudar possa receber o meu green card provisório, já que estou há menos de dois anos de casada com ele, assim tenho tempo para terminar minha segunda graduação, e não terei mais nada que me prenda ao Brasil, ainda poderei ir e voltar, já que esse visto me permite que eu faça isso, desde que eu respeite os prasos.
Nós enviamos nossa petição I-130 no dia 4 de maio de 2011, tivemos o resultado de que ela foi aprovada no dia 27 de julho, agora estou a espera da bendita data da entrevista e do pacote com a documentação necessária para enviar para o consulado. Agora que parei para contar, até que estamos dentro do prazo de processamento de 5 meses que o site da USCIS estabelece para este tipo de visto. Mas mesmo assim parece uma eternidade.
Com muita sorte conseguirei embarcar em Dezembro, já que depois da entrevista aprovada, você recebe o visto em casa, (só não esquecer de pagar a postagem né?) depois de uma semana =), assim espero.
Me desejem sorte =)